quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Estudante de Letras é baleado no campus da USP durante assalto

Alexandre Simão Oliveira Cardoso, de 28 anos, do quarto ano do curso de Letras da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), da Universidade de São Paulo, foi baleado, na noite de ontem (1º), em tentativa de assalto, nas proximidades da avenida Luciano Gualberto, no campus da Cidade Universitária.

O estudante, que está internado no Hospital Universitário, passou por cirurgia. De acordo com nota da reitoria da USP, o aluno apresenta boa recuperação. Ele foi socorrido pela guarda do campus e levado para o hospital.

Atacado por três pessoas, o aluno tentou fugir, mas acabou levando um tiro nas costas. Segundo a Polícia Militar, três menores – suspeitos de terem praticado crime – foram apreendidos, um deles dentro de um ônibus em frente à prefeitura do campus e outros dois em outro ônibus, na Avenida Professor Lineu Prestes. O caso foi registrado no 91º DP.

Em comunicado, a reitoria afirma que “garantir a segurança dos usuários do campus tem sido uma das principais metas da Administração Central da Universidade”. A nota informa que, desde o início do ano, a Secretaria de Segurança Pública e a reitoria, com participação da Comissão de Direitos Humanos, estão trabalhando em um modelo próprio de policiamento comunitário, batizado de “USP Segura”.

Conforme ainda o comunicado, o projeto prevê a participação de policiais com perfil próximo ao dos estudantes, com idade de até 26 anos e formação universitária com a intenção de integrar os policiais com a comunidade e trabalhar em conjunto com a Guarda Universitária. Acrescenta que foi implantado um novo sistema de iluminação. Está também em fase de licitação o sistema de monitoramento das áreas comuns do campus, com a instalação de mais de 450 câmeras.

Fonte: http://www.correiodeuberlandia.com.br/brasil-e-mundo/estudante-de-letras-e-baleado-no-campus-da-usp-durante-assalto/

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Parecer favorável ao PL que institui adicional para vigilantes

Giovani Cherini relata pela adequação ao projeto na CFT

O deputado federal Giovani Cherini (PDT), coordenador da Bancada Gaúcha no Congresso Nacional, relatou favoravelmente ao Projeto de Lei (PL) 4742/2012, que institui o adicional por atividade de risco para os vigilantes de instituições federais de educação superior e de pesquisa científica e tecnológica. O pedido de adequação financeira e orçamentária ao PL foi apresentado na Comissão de Finanças e Tributação – CFT.

Na última terça-feira, 25, Giovani Cherini recebeu o coordenador geral da Associação dos Trabalhadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mozarte Simões da Costa, que agradeceu ao parlamentar pelo apoio ao PL e à categoria. O coordenador da Bancada Gaúcha deixou seu gabinete à disposição da classe de vigilantes. “Sei da importância do trabalho realizado pelos vigilantes. Vou continuar acompanhando este PL até que seja aprovado e beneficie, neste caso, os que atuam em instituições federais de educação superior e de pesquisa científica e tecnológica”.

Na CFT, o Projeto de Lei deve ser colocado em votação em curto período de tempo. Na sequência, será apreciado na Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) antes de ser encaminhado à sanção presidencial.

Enviado por: Mozarte - UFRGS

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

assalto a estudantes no Campus da Ufac - Rio Branco/AC

Um assalto foi registrado na noite desta terça-feira, 25, nas dependências da Universidade Federal do Acre (UFAC). Três estudantes, e a mãe de um deles, estavam conversando dentro de um carro, nas proximidades do lago do Campus Rio Branco quando, rapidamente, um jovem de 19 anos anunciou o assalto.

Thiago Alves Leite tomou os celulares das vítimas e roubou um veículo modelo Astra. Ele utilizava uma pistola com três munições intactas. Após serem informados sobre o assalto, por rádio, os seguranças da Universidade empreenderam busca para deter o criminoso. Ele foi encontrado já do lado de fora do campus da Ufac.

Após ser interceptado pelos agentes de segurança da Ufac, Thiago ainda tentou fugir, mas não conseguiu. A Polícia Federal (PF) foi acionada e um boletim de ocorrências foi registrado. O criminoso foi preso e encaminhado à Delegacia do Tucumã, na 4ª Regional de Polícia.

Fonte: http://www.ac24horas.com/2015/08/26/carro-e-levado-durante-assalto-a-estudantes-no-campus-da-ufac/
Enviado por: Edízio - UFAC

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Vigilante terceirizado é indiciado por furtar ferramentas do IFRS em Rio Grande

Nesta segunda-feira (17), mais de 15 agentes da Polícia Federal cumpriram quatro mandados 
Foto: Polícia Federal / Comunicação

Um ex-vigilante do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - campus Rio Grande – vai responder pelo crime de peculato por furtar ferramentas de laboratórios da instituição. Na manhã desta segunda-feira (17), mais de 15 agentes da Polícia Federal cumpriram quatro mandados de busca e apreensão, e localizaram alguns dos mais de 70 tipos de ferramentas que haviam sumido do IFRS.

De acordo com a investigação da Polícia Federal, os furtos ocorreram entre os meses de fevereiro e julho deste ano. O vigilante, contratado por uma empresa terceirizada, furtava e anunciava os equipamentos em um site de vendas de Rio Grande.

Em março, a direção do IFRS notou o sumiço de algumas ferramentas e denunciou o caso a Polícia Federal. O vigilante, que deixou o emprego em julho deste ano, foi indiciado por peculato, com pena de 2 a 12 anos de prisão. Ele prestou depoimento e foi liberado. De acordo com a PF grande parte do material furtado foi recuperado.

Fonte: http://gaucha.clicrbs.com.br/rs/noticia-aberta/vigilante-e-indiciado-por-furtar-ferramentas-do-ifrs-em-rio-grande-145298.html

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Servidores e alunos da USP protestam contra PM no campus

Fonte:http://educacao.uol.com.br/noticias/agencia-estado/2015/08/07/servidores-e-alunos-da-usp-protestam-contra-pm-no-campus.htm#fotoNav=3

Representantes de servidores e de estudantes da Universidade de São Paulo (USP) protestam, na tarde desta sexta-feira, 7, contra a presença da Polícia Militar no campus Butantã da instituição.

Após uma série de episódios de violência e criminalidade na Cidade Universitária, na zona oeste de São Paulo, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) decidiu acelerar a implementação de um batalhão próprio que atuará no local, com cerca de 120 policiais.

Cerca de 50 pessoas participavam da manifestação por volta das 14h, em frente ao prédio da reitoria. Haverá, no local, uma reunião da Comissão de Direitos Humanos da instituição, com a presença do secretário de segurança pública, Alexandre de Moraes, e do reitor Marco Antonio Zago. Moraes chegou à reitoria por volta das 14h30 e foi vaiado. "Bandido!", gritam os manifestantes.

Alunos da USP protestam contra a presença da PM no campus

Alunos da USP protestam contra o plano da reitoria de implantar uma guarda conjunta com a Polícia Militar no campus Butantã. A USP (Universidade de São Paulo) vai ganhar nos próximos dias um Conseg (Conselho de Segurança), nos moldes dos que já existem em outros bairros da capital paulista. A implantação do Conseg na USP acontece em meio à crise provocada por casos de roubos e estupros registrados no campus Leia mais

USP terá Conselho de Segurança

A USP (Universidade de São Paulo) vai ganhar nos próximos dias um Conselho de Segurança nos moldes dos que já existem em outros bairros da capital paulista. Segundo o secretário Estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, a medida vai preceder a implantação do policiamento comunitário na Cidade Universitária, no Butantã, previsto para setembro.

A implantação do conselho na USP acontece em meio à crise provocada por casos de roubos e estupros registrados no campus. "Nós chegamos a um acordo com a própria reitoria. Vamos criar um Conselho de Segurança na USP, com participação paritária de professores, funcionários, estudantes e da própria Polícia, para que todos convivam de forma harmônica na questão de segurança", afirmou o secretário, na manhã de quinta-feira, 6 de agosto.

Ainda segundo Moraes, a secretaria vai marcar reuniões com os grupos na próxima semana, que devem fazer indicações de representantes para o conselho. A ideia é que os grupos discutam a implantação do policiamento comunitário. O sistema inspirado o modelo japonês Koban é voltado para a prevenção dos delitos, ao contrário do atual policiamento da USP, que tem rondas e atendimentos de casos.

O novo modelo de policiamento terá de 80 a 120 policiais militares. "Todos os policiais já estão treinados. Eles terão um diferencial no uniforme, que será um colete identificando o policiamento comunitário da USP. Acredito que nós já possamos dar início a esse novo tipo de policiamento até o final do mês."

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Pichações estimulam violência contra gays na Universidade Federal de Viçosa - Pró-reitoria afirma que responsáveis podem ser expulsos

A Universidade Federal de Viçosa investiga a ação de grupos homofóbicos no campus. Pichações com teor violento contra homossexuais, fotografadas em dois banheiros, levaram a reitoria a aprovar uma moção de repúdio e a abrir investigação. As mensagens incentivam a violência contra cidadãos LGBT.


Segundo a pró-reitora de Assuntos Comunitários, Sylvia Franceschini, a UFV não vai tolerar estímulo ao preconceito e pode expulsar alunos que infrinjam direitos humanos. 

— Não podemos minimizar atitudes que envolvam violência e desrespeito aos direitos humanos. Vamos tratar esse e qualquer outro acontecimento de forma exemplar, buscando a expulsão dos responsáveis do meio acadêmico.


Estudantes chocados com as pichações denunciaram o caso à reitoria, que ainda não identificou suspeitos. Não há câmeras no local para ajudar a investigação. 

Algumas mensagens são assinadas pelo chamado "Movimento Contra os Homossexuais", que aparece, segundo estudantes, pichado em outros pontos de Viçosa.

Fonte: http://noticias.r7.com/minas-gerais/pichacoes-estimulam-violencia-contra-gays-na-universidade-federal-de-vicosa-10062015

Criminosos tentam assaltar mais um caixa eletrônico dentro de universidade em Brasília

Assaltantes armados invadiram uma faculdade na quadra 708 Sul, na região central de Brasília, e tentaram roubar um caixa eletrônico na madrugada desta sexta-feira (7). Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, os suspeitos fugiram sem levar o dinheiro do terminal.

De acordo com a assessoria da universidade, três homens renderam o vigilante para entrar no local enquanto um quarto comparsa aguardava no carro para a fuga. Eles usaram um alicate grande para tentar arrombar os caixas, mas não conseguiram chegar ao dinheiro. A Delegacia de Roubos e Furtos da Polícia Civil investiga o caso e já está com as imagens do circuito interno.

No período de uma semana, este foi a terceira tentativa de assalto a caixas eletrônicos no DF. Na sexta-feira passada (31), criminosos explodiram um terminal bancário em um posto de combustíveis da Candangolândia (DF), mas a polícia não soube informar a quantia roubada. Três dias depois, nesta segunda-feira (3), ladrões atacaram um caixa dentro de outra faculdade, na Asa Norte, mas não conseguiram chegar ao dinheiro. 

Caixas eletrônicos viram alvo dos criminosos no DF

De acordo com dados da SSP-DF (Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal), 20 caixas eletrônicos foram explodidos em 2015, e outros 12 terminais foram arrombados. Dentre estes casos, em 14 deles os criminosos conseguiram abrir o compartimento onde fica o dinheiro, oito deles com explosivos e, nos outros seis, depois de utilizar maçaricos.

Os números deste ano, até julho, já superam os de 2014, segundo a SSP. No ano passado, a pasta registrou 11 casos de furtos a caixas eletrônicos, seis com explosivos e cinco com uso de maçaricos. Em oito destes casos, os ladrões conseguiram chegar ao dinheiro, geralmente de madrugada em postos de combustíveis ou centros comerciais.

Fonte: http://noticias.r7.com/distrito-federal/criminosos-tentam-assaltar-mais-um-caixa-eletronico-dentro-de-universidade-em-brasilia-07082015