domingo, 20 de julho de 2014

Universidade Federal de Uberlândia irá cumprir normas emitidas pelo MPF para realizar festas nos campi

Uma decisão judicial comunicada à Universidade Federal de Uberlândia (UFU) no último dia 10 definiu as regras para realização de festas dentro dos campi da instituição. A decisão decorre de uma ação civil pública movida em 2012 pelo Ministério Público Federal (MPF). Dentre os pedidos estão a fiscalização da venda de bebidas alcoólicas com exigência de identificação, controle da emissão sonora, contratação de seguranças e emissão de um relatório pós-festa com o cumprimento das regras e o fatos relevantes ocorridos no evento.
Diretor de logística da UFU, Wesley Marques, disse que a decisão não é muito diferente do que a universidade já cumpre a partir de resolução interna de 2010. (Foto: Cleiton Borges)
Diretor de logística da UFU, Wesley Marques, disse que a decisão não é muito diferente do que a universidade já cumpre a partir de resolução interna de 2010. (Foto: Cleiton Borges)
O diretor de logística da UFU, Wesley Marques, disse que a decisão não é muito diferente do que a universidade já cumpre a partir de resolução interna de 2010. “Temos um medidor de decibéis e vamos adquirir mais um ou dois para complementar a medição de emissão de som”, afirmou.
Amauri-Costa-e-Igor-Oliveir
Amauri Cassiano Costa e Igor Oliveira Felice, integrantes do DCE, afirmam que últimos eventos não geraram queixas (Foto: Leonardo Leal)
Os integrantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE) Amauri Cassiano Costa e Igor Oliveira Felice disseram que não tiveram queixas dos últimos eventos. “Vamos estabelecer um checklist com a presença de um fiscal do meio ambiente para apresentar o cumprimento das regras”, disse Costa.
Raul-Ropke-e-Camila-Siqueir
Raul Ropke e Camila Siqueira afirmam que medidas dificultam na arrecadação de verba para manter diretórios acadêmicos, associações e paletras. (Foto: Leonardo Leal)
Os integrantes da Associação Atlética do curso de Nutrição Raul Ropke e Camila Siqueira disseram que, com as normas, o número de pessoas nos eventos do campus Umuarama será reduzido e dificultará a arrecadação de fundos para manter os diretórios, a associação e a realização de palestras com convidados.
Vizinha do campus Santa Mônica há dez anos, a cabeleireira Ana Paula da Cunha disse que não tem sido incomodada com o som das festas na UFU há um ano. O procurador da República Frederico Pelucci disse que o MPF está satisfeito com a decisão judicial. “Todos os pedidos solicitados pelo MPF foram atendidos”, afirmou.
Pedidos do MPF
- Fiscalização da venda e distribuição de bebidas alcoólicas, com exigência de identificação para maiores de 18 anos
- Proibição de festas no campus Umuarama entre 22h e 7h até que seja feita a medição de emissão sonora
- Controle da emissão sonora, não podendo ultrapassar os limites previstos em lei e instalação de medidores de som
- Proibida a emissão de som automotivo
- Aviso prévio do evento ao Corpo de Bombeiros
- Controle de entrada de pessoas nos campi da UFU com revista pessoal e detector de metais
- Contratação de equipe de segurança
- Presença de servidores públicos, profissionais de saúde e da Polícia Militar
- Emissão de relatório noticiando fatos relevantes ocorridos nos eventos.
Fonte: Jornal Correio de Uberlândia

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Nova Chefe de Segurança da USP diz em entrevista a Folha de São Paulo que é preciso recuperar o papel da guarda universitária

A nova Chefe da segurança da USP, a antropóloga Ana Lúcia Pastore, tem 20 anos de pesquisa no Núcleo de Violência da Universidade São Paulo e substitui o Coronel aposentado Luiz de Castro, que, enquanto esteve a frente da guarda, teve seu trabalho identificado principalmente pela presença da PM no campus.

Com a posse da nova Chefe espera-se que o trabalho da segurança passe a ter uma outra concepção do que é ser e fazer segurança, com uma visão mais humanística e com expectativa de pensar a segurança além da repressão e do controle.

No endereço http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2014/07/1479478-e-preciso-recuperar-o-papel-da-guarda-diz-nova-chefe-de-seguranca-da-usp.shtml a Folha de São Paulo apresenta uma entrevista completa com a Chefe de Segurança.

XXIII SEMINÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA DAS IPES



Casal suspeito de envolvimento no roubo de armas da Furg é preso pela PF

Polícia apreendeu telefones e computadores que estavam na casa dos suspeitos

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (10) a Operação Furg, com o objetivo de resgatar armas roubadas da Universidade Federal do Rio Grande e prender dois ex-funcionários terceirizados, que são suspeitos de envolvimento na ação criminosa. Até o momento, nenhuma arma foi localizada.

Durante a manhã, Roberta Correa Pereira e Arlem Ferreira foram presos preventivamente. Os dois são ex-funcionários de uma empresa de vigilância, que presta serviço à Furg. Na época do crime, em março deste ano, Arlem ainda trabalhava na instituição, mas estava de férias.

Um grupo encapuzado e com luvas invadiu um dos postos de comando da universidade e rendeu os trabalhadores às 23h do dia 18 de março. De acordo com o delegado da Polícia Federal Gabriel Leite, ainda não é possível afirmar qual a participação do casal no crime. “Estamos investigando a participação direta ou indireta dos dois no crime”, disse.

A Polícia Federal apreendeu dois telefones celulares e três computadores que estavam na casa dos suspeitos de envolvimento no crime. Os aparelhos telefônicos foram roubados dos vigilantes de plantão na noite do crime. 

Durante o dia, Polícia Federal e a Brigada Militar cumprem sete mandados de busca expedidos pela Justiça Federal do Rio Grande e outros dois expedidos pelo Juizado da Infância e Juventude. Nenhuma arma foi localizada até o momento.

Fonte: GAUCHA

terça-feira, 15 de julho de 2014

Skatista foi agredido por vigilante da UFSM e vai à polícia

Skatista vai à polícia contar que foi agredido por vigilante da UFSM  reprodução/reprodução
Foto: reprodução / reprodução


Um skatista de Santa Maria registrou uma ocorrência policial de agressão contra um vigilante da Universidade Federal de Santa Maria. O fato teria ocorrido próximo ao prédio 74 C, no campus da UFSM, em Camobi, no domingo. 

Segundo Mateus Velasquez, 22 anos, que estava no local junto com outros seis amigos, um dos vigias teria partido para cima de Jean Senne, 18, sem motivos e de forma brutal.

_ Estávamos andando de skate e gravando um vídeo. Paramos para descansar porque já era escuro e não dava mais para filmar. Nesse momento, dois guardas nos abordaram e vieram na nossa direção pedindo para que saíssemos do local. Argumentei que não estávamos fazendo nada de mais. A partir daí começaram a ser arrogantes e agressivos _ afirma Velasquez, que é empresário no ramo de skate e representante da Federação Gaúcha de Skate na região.

Conforme a vítima, foram momentos de pânico até que o restante do grupo interveio.

_ Foi brutal. Fiquei apavorado. Quando ele me pegou pelo pescoço, não conseguia nem falar. Me deu soco na nuca, me jogou o skate. Foi horrível. Enquanto isso, o outro segurança não fez nada, ficou só olhando. Estou indignado. Ando de skate há 5 anos. Não estava fazendo nada de errado. Não estávamos usando drogas. Os skatistas hoje levam a sério o esporte. É uma profissão _ desabafou Jean Senne. 

A agressão só teria cessado, quando Velasquez comentou que Jean seria menor de idade:
_ Num ato de impulsividade, menti que o Jean era menor de idade e por isso o guarda se acalmou. Ligamos para a polícia e ele pediu para não ligássemos, e que ele resolveria ali mesmo a situação. Depois disso, o guarda começou a pedir desculpas e foi embora _ comentou Velasquez, que após o fato recebeu mensagens pelo Facebook de pessoas relatando casos semelhantes: 
_ Já aconteceu diversas vezes e, inclusive, o mesmo segurança teria batido em outras pessoas na UFSM. É um total despreparo. Não foi um caso isolado. Isso vem acontecendo e queremos que isso seja resolvido.

Conforme Eduino Simões, chefe do núcleo de vigilância da UFSM, o vigilante suspeito da agressão não é funcionário da UFSM. Ele é contratado de uma empresa terceirizada. O homem foi afastado das funções até que sejam concluídas as investigações da polícia.

_ Nada justifica uma agressão. Falei com o vigilante por telefone e ele me relatou que também teve ferimentos no rosto e que teria sido agredido _ afirma Simões.

Skatistas mudaram de local para a prática do esporte

Conforme Velasquez, a pista de skate do Centro Desportivo Municipal (CDM) virou ponto de venda e consumo de drogas. Em função da falta de segurança, eles teriam decidido trocar de local para a prática do esporte.

_ Normalmente andamos no CDM, onde tínhamos a liberação para andar. Mas devido ao abandono do local e a pouca fiscalização, decidimos não andar mais lá. Virou ponto de consumo e venda de drogas. Inclusive, diminuiu a quantidade de skatistas em função da violência. Muitas pessoas têm sido assaltadas na pista de caminhada do CDM _ disse o skatista.
Fonte: ZH Notícias

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Bandidos rendem porteiros e abrem caixa eletrônico com maçarico

Polícia Militar registrou, na madrugada de ontem (02/07/2014), assalto ao prédio da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), na avenida Getúlio Guaritá, no bairro Abadia. Dois homens armados renderam quatro funcionários. Em seguida chegaram mais dois assaltantes, que arrombaram o caixa eletrônico e levaram o dinheiro.

Policiais militares da 40ª Companhia/4º BPM foram designados para atender à ocorrência. Conforme o vigilante E.P., 35 anos, por volta de 1h45 de ontem, foi rendido por dois homens no final de um dos corredores do prédio, que fica na esquina com a rua Vigário Carlos. Os autores questionaram a respeito de outros funcionários e renderam os porteiros F.M., 48, e H.M.P., 49, e a faxineira M.G.S.A., 48. Após amarrarem todos em uma rampa, comunicaram com outros dois assaltantes, que entraram pela porta da frente.

Com uso de maçarico, os ladrões arrancaram a parte frontal de um dos caixas eletrônicos do Banco do Brasil nas dependências da UFTM. Depois de abrirem o equipamento, roubaram algumas gavetas que estavam com dinheiro. Também roubaram um revólver calibre 38 com 12 munições e um colete à prova de balas do vigilante. Em seguida fugiram a pé.

A perícia técnica da Polícia Civil compareceu ao local e apreendeu um cadeado e uma garrafa com água, usada pelos marginais para esfriar o ferro cortado pelo maçarico. Até o fechamento desta matéria ninguém havia sido preso e não foi divulgado o valor roubado. Por se tratar de um caixa eletrônico do Banco do Brasil, a competência para investigação é da Polícia Civil.

Fonte: JM Online
Enviado por: Mozarte - UFRGS

Armados, homens roubam alunos no campus da USP

03 de julho de 2014

Dois homens armados invadiram o principal campus da Universidade de São Paulo (USP), a Cidade Universitária, no Butantã, zona oeste de São Paulo, e assaltaram um grupo de universitários, por volta das 19h20 de quarta-feira.

De acordo com a Guarda Universitária, os assaltantes entraram no campus em duas motos vermelhas. Eles se encaminharam, então, ao grêmio da Escola Politécnica e anunciaram o assalto a um grupo de alunos. A Guarda não soube informar quantos estudantes foram assaltados, mas a estimativa é de que ao menos 20 pessoas estivessem no local no momento do assalto.

Em meio ao assalto, um aluno foi agredido com uma coronhada pelos assaltantes e precisou ser encaminhado ao Hospital Universitário. O estado de saúde da vítima não foi informado. Os ladrões fugiram levando objetos dos universitários.

Fonte: Terra online
Enviado por: Mozarte - UFRGS